A advogada Luisa Gonzálezr lidera a apuração do votos das eleições presidenciais no Equador com cerca de 33% do total
(Crédito Foto: Reprodução)

No Equador, os candidatos Luisa González e Daniel Noboa devem disputar o segundo turno das eleições. Às 6h45 (horário de Brasília), com 92,75% das urnas apuradas, González tinha 33,28% do total de votos para presidente; Noboa estava com o apoio de 23,67% dos eleitores. Os números são da agência Associated Press.

As urnas foram fechadas e começaram a ser apuradas no fim da tarde deste domingo (20), às 17h (19h, horário de Brasília), após um dia de votações com segurança reforçada em todo o país.

O segundo turno está marcado para 15 de outubro, porém o vencedor dessa etapa eleitoral receberá as credenciais do governo em 30 de novembro, de acordo com o cronograma do órgão de governo eleitoral.

A campanha política deste ano foi marcada pelo assassinato de Fernando Villavicencio, um dos candidatos à presidência, nessa quarta-feira (9), e por outros episódios de violência. Christian Zurita, que substituiu a candidatura de Villavicencio, compareceu à seção eleitoral com forte esquema de segurança, usando um capacete e colete de proteção. Zurita estava em 3º lugar, com pouco mais de 16% do total de votos, o que impede seu avanço ao segundo turno.

As autoridades equatorianas mobilizaram mais de 100 mil policiais e soldados para proteger a votação. O general Fausto Salinas, comandante-geral da Polícia Nacional, disse que uma pessoa foi presa por voto falso, duas por assédio e resistência à prisão e mais de 20 por porte ilegal de armas.

Luisa González, advogada de 45 anos, prometeu restaurar os programas sociais implementados por Rafael Correa. Ela faz campanha relembrando as políticas populares de saúde e educação de Correa e afirma que planeja “recuperar a pátria”. González liderava a apuração nas três províncias mais populosas do Equador: Guayas, Pichincha e Manabí.

Daniel Noboa, de 36 anos, é ex-deputado e empresário. Na Assembleia, foi presidente da Comissão de Desenvolvimento Econômico, que tramitou diversos projetos de lei nas áreas econômica, tributária e de investimentos.

Noboa afirmou  à imprensa que um tiroteio interrompeu sua carreata na cidade de Durán. A polícia do país negou que o acontecimento tenha sido um atentado contra a vida do presidenciável.



Por PERFIL